JOSEMAR RABELO, SEM ÓDIO E SEM MEDO

JOSEMAR RABELO, SEM ÓDIO E SEM MEDO

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

É DESSE JEITIN

BOA NOTÍCIA PARA O NE

La Niña chega em outubro com seca no Sul e chuvas no Norte e Nordeste


0

O fenômeno climático La Niña já começa a se configurar no Pacífico, e a partir do início da próxima primavera deve ser tão prejudicial para a agricultura quanto El Niño. É o que dizem os meteorologistas da Climatempo, apontando que haverá secas no Sul e aumento das chuvas no Norte e Nordeste, por conta de mudanças significativas nos padrões de precipitação e temperatura ao redor da Terra.
La Niña é a fase fria de um fenômeno atmosférico-oceânico. Ela é caracterizada pelo esfriamento anormal das águas superficiais do Oceano Pacífico Tropical. O especialista projeta que La Niña já esteja presente no Brasil a partir do próximo mês de outubro, permanecendo ao longo de 2017.

EDMILSON FERRERIA E ANTONIO LISBOA

Resultado de imagem para POETAS EDMILSON FERREIRA E ANTONIO LISBOA

DOIS EXTRAORDINÁRIOS POETAS!!!!
Agenda
16/08/2016
23:27

Atenção para a agenda de Antonio Lisboa e Edmilson Ferreira em São Paulo.
• 26 de Agosto, no Restaurante Mega Espeto da Preta, as 20 horas. Av. Dr. Zé Artur Nova, 2570, jardim Helena, São Miguel Paulista, org: Poeta Zé Milson Ferreira.
• 27 de Agosto, no Bar do Daniel, a partir da 20 horas, na rua Hercules Abruzzesse, 57, parque Sta. Tereza, Carapicuíba-SP, org: Daniel, Tarciso e Chico Torres.
• 28 de Agosto, festival no auditório da Câmara Municipal de Diadema, a partir das 16 horas, org: Moreira de Acopiara.
• 29 de Agosto, Apresentação no Espaço Cordel e Repente da 24. Bienal Internacional do Livro de São Paulo, para Editora IMEPH.
• 02 de Setembro, para Eronildo, em Utinga, São Caetano.
• 03 de Setembro, no Bar do Sílvio, rua Manoel Vitorino, 99, Brás-SP, org: Moacir Medeiros, a partir das 16 horas.
• 04 de Setembro, Restaurante Chapéu de Palha, rua Humberto Furlan, 43, Jardim das Oliveiras, Taboão da Serra, a partir das 16 horas, org: Seu Alberto e Biu Bom Jardim.
• 06 de Setembro, Santarém, Guarulhos, 20 horas, para Antonio Dantas, família e amigos.
• 07 de Setembro, em Monte Mor, a partir das 14 horas, para família Ferreira. Raimundo, Zé, Adelmo, Ivan e amigos.
• 09 de Setembro, em Itaquaquecetuba, org: Ila do Piauí, 20 horas.
• 10 de Setembro, em Cajamar, org: Amadeu e amigos, 20 horas.
• 11 de Setembro, Festival de Itapevi, em frente a Câmara Municipal de Itapevi-SP, org: de Moranguinho, a partir das 12 horas.
Ivânio Tenório, divulgando a Cultura Nordestina.

ESTAMOS DE VOLTA

Estamos de volta com o Blog do Josa Rabelo e Tá na Hora da Verdade.

POETA DA SEMANA

Poemas de Desilusões - Dudu Morais


NÃO PODÍAMOS FORMAR CASAL PERFEITO,
PORQUE ERAM DEMAIS NOSSOS ATRITOS.
E ATENDENDO EVITAR ESSES CONFLITOS,
POR NÓS DOIS,ABRIR MÃO DO MEU DIREITO.
TER VOCÊ COMO EX EU SÓ ACEITO,
PORQUE O TEMPO NÃO MUDA O QUE OCORREU.
SEU DIREITO AO AMOR JÁ PRESCREVEU,
E AO SAIR DO MEU MUNDO FECHE A PORTA.
QUANDO A ÚLTIMA ESPERANÇA TOMBAR MORTA,
VOCÊ PODE DIZER QUE ME ESQUECEU!

 _______________________________

POR MUITAS OUTRAS ESTRADAS
MEU CORAÇÃO PERCORREU,
ALGUNS MISTÉRIOS OCULTOS 
MUITA GENTE CONHECEU,
MAS TEM MUITAS OUTRAS COISAS
QUE SÓ QUEM SABE SOU EU.

_______________________________

As vezes o amor incerto
Por linhas tortas escreve
E meu coração está
Pagando mais do que deve
Com um sofrimento tão grande
Para uma história tão breve.. 

_______________________________

SEM QUERER QUESTIONAR SUA RAZÃO
QUE DE FATO ESTÁ TODA COM VOCÊ,
MAS PODENDO, RESPONDA-ME O POR QUE
QUE A LEVOU A TOMAR TAL DECISÃO.
FAÇA UM CÁLCULO SINCERO DESDE ENTÃO
E ANALISE QUEM MAIS SE MACHUCOU;
VOCÊ PÔDE SAIR COM O QUE CHEGOU.
E O QUE EU TROUXE NAS MÃOS FICOU PRA TRÁS,
NEM TER OUTRA ILUSÃO EU POSSO MAIS
QUE ATÉ ISSO QUE É MEU VOCÊ FICOU

_______________________________ 

ACABARAM MINHAS DÚVIDAS
DEPOIS DE TANTA INCERTEZA 
ELA TOMOU COMO CERTO
O QUE PRA MIM FOI SURPRESA.
VIVO NO INFERNO E NO CÉU
SENTADO AO BANCO DO RÉU
SEM TER DIREITO A DEFESA

_____________________________

EU QUE VIVI DE AVENTURAS,
HOJE COM AS MÃOS ESTIRADAS 
MENDIGO NAS MADRUGADAS
UM ‘OI’ DE BOCAS IMPURAS...
DEPOIS DE OUVIR TANTAS JURAS
MUITA COISA ACONTECEU
E ONDE A ESPERANÇA MORREU
UM SONHO FOI SEPULTADO
HOJE O MEU CHORO É CALADO
SÓ QUEM ESCUTA SOU EU.

__________________________

"DECEPÇÕES AMOROSAS
SÓ TEM UMA SERVENTIA:
FAZER DOS ERROS UM QUADRO
DE LIÇÕES DO DIA A DIA
PRA NUNCA MAIS PASSAR PERTO
DOS ABISMOS QUE CAÍA..."


O MENINO DE OURO



Sinopse:
Um casal decide adotar uma criança após diversas tentativas frustradas de ter um bebê. Zooey, em sua ida a um orfanato, se encanta por Eli, um pequeno garoto de 7 anos que anda de terno e gravata e se comporta como um adulto. Enquanto o coração de Zooey se enche de esperança com a possibilidade de vir a se tornar mãe, Alec, seu marido, tem de quebrar a cabeça para não deixar que a empresa, que seu pai construiu com tanta dedicação, vá a falência e seja obrigada a fechar as portas. Um filme para você acreditar realmente que o amor é para ser dividido e que nós estamos sempre rodeado por anjos, assim é Milagres Acontecem – O Menino de Ouro, que promete te emocionar do início ao fim.

Essa é uma dica minha e do Nossa Conversa a você leitor que está curtindo as férias. O Menino de Ouro é um filme que pode e deve ser acompanhado por toda a família. Tenho certeza que, assim como eu, vocês irão se apaixonar pela história. Só um detalhe: o final é surpreendente e, assim como o longa por inteiro, é emocionante.


RECETIA DA SEMANA

FILÉ À PARMEGIANA

Imagem enviada por Felipe Oliveira Carvalho

Filé ou bife à parmegiana já é um clássico na mesa brasileira. Mas apesar de simples, essa receita tem alguns truques que precisam ser aprendidos para servir um parmegiana perfeito. 
A começar, pela carne escolhida que não pode ser grossa, sendo alcatra, filé mignon, coxão mole, fraldinha ou patinho as opções ideais. Em nossa receita, utilizaremos o Baby Top de Coxão Mole da linha Nova Mesa
Independentemente de qual carne você escolher, há um passo importante para garantir que a carne fique no ponto ideal: enrole os bifes em filme plástico, aquele que usamos na cozinha, e bata até deixá-los finos, o que irá ajudar a amaciá-los também, para garantir que ele irá assar ou fritar de forma uniforme.
Bem, vamos aos ingredientes do nosso filé à parmegiana:
  • 300 gramas de Baby Top Nova Mesa
  • Farinha de Trigo Comum (cerca de 150 gramas)
  • Farinha de Rosca (cerca de 150 gramas)
  • 3 Ovos tipo Extra
  • 150 gramas de Queijo Muçarela
  • Uma lata e meia de Tomate Pelati
  • Uma cebola
  • 4 Dentes de Alho
  • 2 Folhas de Louro fresco
  • Azeite
  • Óleo de Girassol
  • Sal a Gosto
  • Pimenta do Reino Preta a gosto
Tempere os bifes com sal e pimenta e deixe na geladeira por cerca de 20 minutos. Enquanto isso, iremos preparar o molho.
Para o molho do filé à parmegiana, siga esses passos:
  • Pique o alho e a cebola.
  • Amasse uma lata e meia de tomate pelati.
  • Aqueça uma panela, adicione o azeite, e refogue o alho e a cebola.
  • Depois, adicione o tomate pelati amassado e as duas folhas de louro, deixando cozinhar por cerca de 20 minutos.
  • Ajuste o sal e a pimenta, sempre seguindo as dicas que demos no outro post.
Para empanar o bife, você irá precisar de três pratos ou refratários, colocando a farinha de trigo em um deles, os três ovos batidos levemente até formar uma espuminha em outro, e a farinha de rosca no restante. 
Tente deixar os pratos com esses ingredientes na ordem que acabamos de descrever, pois o segundo passo para empanar é colocar o bife na farinha de trigo cobrindo todo a superfície, depois mergulhar no ovo, e por fim na farinha de rosca, pressionando levemente para formar a casquinha, repetindo o processo se desejar extra-crocância.
E é aqui que temos várias dicas e opções! 
Em relação aos ingredientes para empanar (a farinha de trigo, os ovos, e a farinha de rosca), você pode:
  • Substituir os ovos por maionese;
  • Substituir a farinha de rosca por farinha de pão italiano;
  • Fritar bacon, moê-lo, e misturar com a farinha de rosca;
  • Misturar ervas ou queijo parmesão com a farinha de rosca;
  • Substituir a farinha de rosca por cereais matinais sem açúcar triturados.
Uma dica para empanar os bifes sem embolotar os seus dedos com as farinhas, é passar o bife na farinha de trigo, colocá-lo na tijela de ovos e virá-lo com um garfo sem colocar a mão no líquido, usando o mesmo garfo para colocá-lo na tijela com a farinha de rosca e aí sim voltar a usar as mãos.
Você também pode usar uma tesoura para dar um pic pequeno nas duas pontas do bife, pois isso evita que ele envergue dentro da panela e encharque de óleo. 
Se você não for fritar cada bife imediatamente após empaná-lo, reserve-os sem empilhar; se for fazer tudo de uma vez, não demore muito para não umedecer a farinha e perder crocância.
Para o preparo no fogão, uma alternativa é assar o bife empanado, o que não o deixa tão crocante, mas é mais saudável. Se for fritá-lo, siga essas orientações:
  • O óleo deve estar quente a no máximo 180ºC para não queimar, isto é, não pode estar soltando fumaça. Para saber se está quente o suficiente, coloque um palito de fósforo no óleo e quando ele acender, é a hora de fritar;
  • Faça a fritura em fogo baixo ou médio para não queimar;
  • A fritura deve ser feita por imersão, mergulhando todo o bife de forma uniforme;
  • Frite um lado até dourar e vire;
  • Recomendamos tirar o bife da panela com um garfo para escorrer o máximo de óleo possível;
  • Para dar um gosto especial, você pode colocar um pedaço de cebola no óleo;
  • Após fritar, escorra cada bife em papel toalha. 
Para a finalização, coloque um pouco do molho em refratário. Depois, posicione os bifes, adicione uma fina camada de molho sobre eles, cubra-os com queijo e despeje o restante do molho levando ao forno para gratinar até que o queijo esteja dourado. 
- See more at: http://portal.minervafoods.com/minerva/blog/post/como-fazer-um-file-parmegiana-perfeito#sthash.1KbH6szV.dpufperfeito#sthash.1KbH6szV.dpuf

FRASE DA SEMANA

Pin it"Cuidado com as voltas que o mundo dá. Hoje você lança as palavras, amanhã sente o efeito delas."
(Desconhecido)

quinta-feira, 14 de julho de 2016

FRASES DA SEMANA

Eu agradeço por todos os obstáculos que Deus coloca em meu caminho. Nos momentos de dificuldades posso não compreender, mas quando chego ao topo da montanha, reconheço na paisagem a lição que Ele me deu.

"Por que só agradecemos a Deus pelo momentos felizes, quando na verdade foram os dias mais tristes que nos deram força para alcançar a alegria?"


"Quando tiver algo a dizer, analise muitas vezes o que será dito, pese as consequências, e reflita se o seu silêncio não seria o melhor para aquela situação."
- Ivan TeorilangUm dos momentos mais felizes da vida, é quando nos sentimos capazes de deixar partir aquilo que não nos faz bem, e que não podemos mudar. O que realmente faz valer a pena estar vivo não há filmadora ou máquina fotográfica que registre. Surpresas, gargalhadas, lágrimas, enfim, o que eu sinto, quem eu sou, você só vai perceber quando olhar nos meus olhos, ou melhor, além deles.

VERSOS DO POETA ALDO NEVES

Versos do Poeta Aldo Neves

Algumas sextilhas do poeta aldo Neves na cantoria de inauguração de sua viola, na Pousada do Vale, no dia 16/02/2008.
Eu puxei antigamente
Jumento pelo estovo
Vendo pai fazendo cerca
E minha mãe juntando ovo
Daria tudo que tenho
Pra ser criança de novo



Sextilha (A paisagem Nordestina)
A paisagem nordestina
Primeiro a chuva caindo
Segundo a terra molhada
Terceiro a flor se abrindo
Quarto um açude sangrando
Quinto a pastagem surgindo
(Aldo Neves)
Mais sextilhas da cantoria:

Pra o homem que é vigilante
O seu sofrer continua
Que só tem por companhia
A solidão e a lua
Cuida da casa dos outros
E anoite cuida da sua

Nessa hora na calçada
Cochila um ébrio deitado
O silêncio faz visita
Na cela d’um carcerado
E a natureza me obriga
Viver sonhando acordado

A noite acolhe os fantasma
Um detento forra a cela
A lua nasce embassada
Por trás da nuvem amarela
Se a viola é minha cruz
Vou ter que carregar ela.

Eu comparo a mocidade
Com a aurora prateada
Velhice cadeia triste
Com sua porta fechada
Que o delegado dos anos
Ver tudo mas não faz nada

Quando o inverno começa
Toda tristeza se esconde
Uma casaca de couro
Canta e outra responde
E a cheia arranca um caniço
E vai deixar não sei aonde.

Quando chove no sertão
Fica tudo diferente
A compesa solta, a agua,
Cobra e humilha o cliente.
Deus quando manda é de grasça
Não cobra nada da gente

A enchente empurra as varas
Pra desmanchar o caniço
As abelhas fazem mel
Se enganchar no cortiço
Quem se criou no sertão
Sabe o que é tudo isso
(Aldo Neves)

Admiro a sabiá
Por ser uma ave bela
Faz o ninho poe e choca
E quer o filho perto dela
E tem mãe que mata a criança
Pra não dá trabalho a ela.
(Dió de Santo Izidro)
Numa missa em Tuparetama, na missa do dia dos pais em agosto 2006, o poeta Aldo Neves fez:

Decassílabo
Jesus cristo tem sido até agora
Protetor de ateus e de pagãos
Me entrego senhor em tuas maõs
Tando aqui ou andando mundo afora
Ele a ajuda a que ri e a quem chora
Porque é paciente e bom amigo
Me livrando da treva e do perigo
É o mestre do mundo e da igreja
E por mais longe senhor que eu esteja
Com certeza eu alcanço o teu abrigo

Sextilha
Quando chove no sertão
Se acabam todos os horrores
As abelhas fazem mel
Tirando o néctar das flores
E a capina é o cenário
Do filme dos cantadores
Mote: FICOU FELIZ O SERTÃO
COM A CHUVA NOVAMENTE (Josa Rabêlo) dia 10 de junho/2007
Com medo de um perdigueiro
Corre um preá pra coivara
E uma rolinha se ampara
Na sombra de um juazeiro
Na sangria de um barreiro
Canta um cururu contente
Deus deixa a cigarra ausennte
E dá lugar pra o carão
Ficou feliz o sertão
Com a chuva novamemte

Quando a terra está molhada
No curral as vacas mugem
Camponês tira a ferrugem
Do gume da sua enxada
Levanta de madrugada
Já vai escolher semente
E não vai fcar um vivente
Sem plantar milho e feijão
Ficou feliz o sertão
Com a chuva novamente

Quem tinha arrumado a mala
Não vai sair do sertão
Na zuada do trovão
Toda cigarra se cala
No riacho a água embala
Levando o que tem na frente
Parecendo uma serpente
Se arrastando pelo chão
Ficou feliz o sertão
Com a chuva novamente

A nuvem sofre um desmaio
Deixando o céu colorido
O trovão dá estampido
Como quem faz um ensaio
Um pe´de apara-raio
Se balança lentamente
Não se parece com gente
Mas dá ligeira impressão
Ficou feliz o sertão
Com a chuva novamente

No riacho a água sobra
Levando as folhas da serra
Deus une o céu com a terra
Quando a chuva se desdobra
Pra se esconder de uma cobra
Sai um sapo velozmente
E num relâmpago do nascente
Deus tira a foto do chão
Ficou feliz o sertão
Com a chuva novamente
(Aldo Neves)

O poeta Aldo Neves, no mote de Josa Rabêlo:

VALORIZE A CULTURA DO SERTÃO,
FECHE AS PORTAS À MÍDIA ENGANADORA.

Valorize o caboclo nordestino
O gibão, o vaqueiro e sua cela;
O curral o mourão e a cancela,
O chocalho que é boca de sino.
Dê valor ao caboclo campesino
Que é o homem sofrido da lavoura.
E por aí já tem mais de uma emissora
Que não sabe quem foi um Gonzagão,
VALORIZE A CULTURA DO SERTÃO,
FECHE AS PORTAS À MÍDIA ENGANADORA.

Dê valor a um carão de madrugada,
Que não é um doutor mas advinha.
E vinte pintos seguir uma galinha
E ela só, tomar conta da ninhada.
E um trovão estralar de madrugada
Sem contato com os fios da emissora.
E a formiga cortar sem ter tesoura
Estragando a lavoura do feijão.
VALORIZE A CULTURA DO SERTÃO,
FECHE AS PORTAS À MÍDIA ENGADORA


Camponez quando acorda sabe a hora
Com o galo que é seu seresteiro
Com o sapo cantando no barreiro
E com o sol enfeitando a branca aurora
Um riacho jogando água pra fora
Sem ter canos que sirva de adutora
Inda tem nessa terra encantadora
A sanfona, o chapéu e o gibão
VALORIZE A CULTURA DO SERTÃO
FECHE AS PORTAS PRA MÍDIA ENGANADORA


O poeta do pé da serra – Aldo Neves, (Aldo de Luiz Terto), fez esses versos em homenagem aos 48 de convivência de João Martins e Dona Nilza.

São quarenta e oito anos
De muita felicidade
Do lado de dona Nilza
Prazer e honestidade
Do lado de João Martins
Safadeza e falsidade.

João Martins (In-Memorian) pediu que o poeta não acabasse com ele e o poeta fez:

São quarenta e oito anos
De convivência e respeito
Aonde existe bons planos
A união faz efeito
E nem na loto se ganha
Um homem bom desse jeito

Na Exposição de Animais de Tuparetama vendo a lua sair cheia e bonita Josa Rabêlo pediu ao poeta Aldo Neves que fizesse um verso pra ela, a lua.

A lua no Céu Vagueia
Como um barco que flutua
Inspirando o seresteiro
Jogando os raios na rua
Tudo que o poeta é
Só deve a Deus e a lua

Pra lua sair bonita
Deus é quem abre a janela
E o quadro azul do espaço
A natureza pincela
Num sei quem é mais bonita
Se a noite ou se é ela
XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX
SEXTILHAS
O homem tira da terra
O pão pra botar na mesa
Sem precisar poluir
O rio e nem a represa
Deus vira as costa pr’àqueles
Que ferem a natureza

Mote: ESCUTEI A ROQUEIRA DO TROVÃO
AVISANDO O SERTÃO VAI SER MOLHADO
(Joaquim Filó)
Glosa: Aldo Neves

O sertão quando a terra está molhada
A enchente no rio faz rumores
As abelhas brincando com as flores
Sertanejo se acorda à madrugada
Meia noite uma serra é aguada
Com um chuveiro depois de destrancado
Carro pipa de tanque enferrujado
E a cigarra esquecida do verão
Escutei a roqueira do trovão
Avisando o sertão está molhado




Uma nuvem se forma no nascente
Com a força do vento se balança
Jitirana nas cercas fazem trança
Canta os sapos felizes na enchente
Para a terra Deus manda esse presente
Tantas vezes e nada tem cobrado
E as formigas trabalham no roçado
Igual gente fazendo procissão
Escutei a roqueira do trovão
Avisando o sertão está molhado

Quando sobra fartura o pobre enrica
E recupera de novo a esperança
E um moleque com fome encosta a pança
Na panela melada de canjica
Vai embora o verão, o carão fica
Pra cantar quando o rio está de nado
E o nordeste só cheira a milho assado
Nas fogueiras de noite de São João
Escutei a roqueira do trovão
Avisando o sertão está molhado

O cenário enfeitando a capoeira
Só o tempo querendo ele desmancha
E um enxame de abelhas se arrancha
Num buraco de um pau de aroeira
Na segunda o matuto vai à feira
Contar o que fez no seu roçado
E o fantasma da seca encarcerado
Sem querer Deus botou-lhe na prisão
Escutei a roqueira do trovão
Avisando o sertão está molhado

De manhã quando o sol enfeita a barra
Uma flor se desprende e cai do galho
Camponês recomeça o seu trabalho
Sem ouvir a cantiga da cigarra
À tardinha as gangarras fazem farra
Com o milho depois de pendoado
E a enchente parece um aleijado
Sem andar se arrastando pelo chão
Escutei a roqueira do trovão
Avisando o sertão está molhado

Passa a brisa de leve o chão bafeja
Deixa a terra bastante perfumada
Bate a água na telha compassada
Como o sino tocando na igreja
Se transforma a paisagem sertaneja
Com o mato depois de enfolhado
Parecendo um quadro desenhado
Que Deus fez sem triscar nem com a mão
Escutei a roqueira do trovão
Avisando o sertão está molhado

O trovão ribombando serra à baixo
Parecendo com um tiro numa guerra
Uma chuva bem leve molha a terra
Desce a água correndo prá um riacho
Uma jia cantando chama um macho
Como quem diz: Adeus, Muito obrigado!
Um rosário de barro avermelhado
Forma um círculo enfeitando o cacimbão
Escutei a roqueira do trovão
Avisando o sertão está molhado
(Aldo Neves)

É Terezinha, a mulher
Que aqui a gente ama
Não me guardou no seu ventre
Não me teve em sua cama
Mas é a segunda mãe
Que tenho em Tuparetama

Seu eu fosse parente dela
Cuidava com muito zelo
Tirava as rugas do rosto
Voltava a cor do cabelo
E sem dúvida era um puxa-saco
De Terezinha Rabelo
(Poeta Aldo Neves)



No teu beijo, Deus bota uma mistura
Que imitá-lo eu acho tão custoso
O teu beijo pra mim, é mais gostoso,
Que uma manga depois que está madura.
Porque que ele pra mim tem mais doçura
Que o miolo da própria melancia
Eu beijei o teu rosto e, não sabia,
Que o teu cheiro ficava em minha face
Se o teu beijo matasse quem beijasse
Eu beijava sabendo que morria
(Aldo Neves)